Perguntas Frequentes

A Regressão é feita através de hipnose?

Não. O paciente passa por um relaxamento profundo, onde ocorre uma expansão de consciência. Durante o processo fica todo o tempo consciente.

Não é melhor vivermos no presente sem olhar o passado?

Muitas vezes, achamos que nossas reações e emoções são atuais, mas possivelmente são originadas no passado dessa ou de outras existências. É ilusão acreditar que estamos totalmente dissociados de nosso passado. Muitas pessoas vivem mais no passado do que no presente, apenas não se dão conta disso. Não sabem que podem  estabelecer-se sintonias com existências anteriores e que através da regressão terapêutica ocorre a verdadeira compreensão e os desligamentos desses momentos.
A superação de padrões de comportamentos repetitivos também é favorecida. Uma vez que na atual encarnação, por estarmos envolvidos emocionalmente com pessoas ou situações e influenciados pela materialidade de nossa realidade temos a tendência de atribuir causa externa (pessoas ou situações) aos nossos sentimentos e comportamentos. Quando nos percebemos agindo da mesma forma no passado, sentindo do mesmo jeito que agora, temos maior facilidade para compreender que ninguém ou nada é responsável pelo o que sentimos ou pela forma que agimos. Carregamos essas tendências na personalidade do nosso espírito e devemos nos mobilizar para superá-las.

E a Lei do Esquecimento?

Nós, da Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista temos, como uma de nossas principais diretrizes, o absoluto respeito pela Lei do Esquecimento. Nosso Método regressivo consta de dois aspectos básicos:
1º) O direcionamento, a condução, da Regressão é comandada pelos Mentores Espirituais das pessoas, sendo que o psicoterapeuta não induz, não sugere, nem sugestiona, não hipnotiza, não comanda e não conduz o processo regressivo, e, sim, auxilia a pessoa a relaxar o seu corpo físico e elevar a sua freqüência para que ocorra uma expansão da consciência. Não dirigimos o retorno da memória, não decidimos o que a pessoa em tratamento vai acessar e não atendemos aos desejos e anseios dessa em relação ao seu passado. Confiamos na sabedoria da Espiritualidade Superior que sabe o que revelar, de acordo com o merecimento e a capacidade de assimilação, de entendimento de cada um.
2º) Durante a recordação, o psicoterapeuta apenas estimula, quando necessário, a pessoa a continuar o seu relato, sem perguntar nome ou o ano que está. Nunca é incentivado o reconhecimento de pessoas no passado, o que seria infração à Lei do Esquecimento. Para nós, o que realmente importa não é quem fomos e, sim, como fomos nas existências anteriores.

Posso "não voltar" da regressão?

Não. Conteúdos inconscientes de vivências passadas que afetam a vida atual emergem à consciência como recordações.
Deve-se observar que ficamos sintonizados no momento em que termina a regressão. Motivo pelo qual  não encerramos a regressão em momentos traumáticos. A técnica utilizada pela ABPR, consiste em terminar o procedimento apenas quando o paciente chega ao seu ponto ótimo. Depois de desencarnar e chegar num plano superior, onde é auxiliado pela atmosfera  de luz e/ou pela espiritualidade amiga consegue ter maior compreensão dos acontecimentos, de seus sentimentos e passa a sentir-se amparado e em paz. Neste, momento, com autorização da espiritualidade podemos finalizar o procedimento e o paciente fica em sintonia de luz, trazendo consigo sentimento de paz, de compreensão.

Como é a participação do Mentor Espiritual?

O psicoterapeuta pede permissão a espiritualidade e se torna um auxilar do mentor da pessoa em tratamento. O conteúdo que será acessado, assim como a forma como a qual seráo mostradas as informações são decisões da espiritualidade de a cordo com o merecimento e com a capacidade de cada para lidar com as informações.

Há Contra-indicações para esta técnica?

Pessoas muito idosas, com doença cardíaca severa, ou hipertensão não controlada. Nesse casos pode ser feita Regressão à distância, onde um parente ou uma outra pessoa se disponibiliza a passar pela regressão em seu lugar.